Procurados por quem está com alguns quilinhos a mais, os inibidores de apetite circulam por aí como uma alternativa de emagrecimento fácil, o que tem levado muita gente a buscar fora do país esses remédios que só podem ser consumidos com prescrição médica, já que o uso sem controle pode colocar a saúde do indivíduo em risco.

Para se ter uma ideia esse tipo de medicamento só é considerado uma alternativa viável caso o paciente tenha tentado outros meios – como reeducação alimentar aliada a atividade física – que tenham sido motivo de insucesso. Além disso é preciso levar em conta a faixa etária e histórico de saúde do paciente sendo o seu consumo contra-indicado para pessoas com doenças pré-existentes como diabetes, pressão alta e doenças psiquiátricas.

Os motivos para tanto cuidado são óbvios, uma vez que por trás desta perda de peso ilusória se escondem efeitos colaterais como boca seca, apetite elevada, náusea, estômago irritado, constipação, insônia ou sonolência, tontura, dores menstruais, dor de cabeça, dores articulares e elevação da pressão sanguínea.

Por isso, se você não se aceita da forma que é, muito cuidado! Antes de seguir os conselhos de amigos que optaram por um caminho mais curto e, muitas vezes arriscado, entre em contato com um profissional de confiança e procure realizar um acompanhamento nutricional personalizado.